Crítica – Divórcio: Até que o Amor Exploda

182 Visualizações Deixe um comentário

O cinema nacional está evoluindo cada vez mais, e isso é visto novamente na comédia romântica “Divórcio”, escrita por Paulo Cursino (“De Pernas Pro Ar” e “Até Que A Sorte Nos Separe”).

O longa conta a história de Noeli (Camila Morgado), que é roubada do altar por Júlio (Murilo Benício). O casal leva uma vida humilde, mas enriquece quando o molho de tomate Juno, criado por eles, torna-se um sucesso. Só que, com o passar dos anos, o dinheiro e a rotina os distancia fazendo com que um mal-entendido seja a gota d’água para a separação. Para defender o patrimônio criado, cada um tenta achar o melhor advogado para si, o que acaba gerando um processo de divórcio cheio de confusão.

Dirigido por Pedro Amorim (“Mato Sem Cachorro”), essa sátira da vida real mostra de forma bem escrachada e nonsense a que ponto pode chegar um casal por conta da falta de diálogo. Na grande maioria das vezes vemos quão estúpidos são os motivos para qualquer briga de casal, e é aí que mora a crítica que o filme nos traz de forma bem-humorada.

Murilo Benício já nos mostrou a versatilidade de seu trabalho ao longo de sua carreira, uma das principais marcas do seu personagem no filme é sua risada ridícula, irritante e engraçada ao mesmo tempo. Camila Morgado não fica pra trás, com trejeitos engraçados e uma risada de porquinha que fica páreo a páreo com a de Júlio. Os momentos surtados dos atores rendem boas risadas.

A química entre os atores é muito boa e eles protagonizam cenas bem hilárias. É interessante o realismo que traz a trama do casal com seus advogados e amigos, pois mostra como a influência de terceiros pode atrapalhar ou até mesmo colocar bastante lenha na fogueira numa situação que bastaria uma conversa para ser resolvida.

O roteiro é cheio de pequenos furos, totalmente previsível e bem clichê. Além disso, o estereótipo caipira acaba limitando um pouco as atuações. O filme ganha pontos com seus coadjuvantes e participações especiais, sua excelente trilha sonora e algumas cenas de ação muito bem capturadas pelo diretor, que merecem a atenção e prestígio do espectador.

Entre erros e acertos o saldo acaba positivo. Se você está procurando uma sessão light para dar umas risadas e até mesmo refletir um pouco sobre a crise no seu relacionamento, “Divórcio” é uma boa pedida.

RELATED ITEMS
Biografia do Autor

Giovanni Christian

Designer, ilustrador, cinéfilo e nerd curitibano. Fã de Star Wars desde sempre, começou a participar das atividades do Conselho Jedi Paraná em 2009, e atualmente é um membro da organização do fã-clube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *