Crítica- Jogos Mortais: Jigsaw

156 Visualizações Deixe um comentário

Há alguns anos quando foi lançado Jogos Mortais: O Final, pensamos que tudo se encerraria ali. Era o que parecia, devido ao seu grande final. Claro que falando de grandes franquias sempre podemos esperar coisas novas, por mais que passem alguns anos. E foi isso mesmo, depois de 7 anos um novo filme foi feito para os fãs matarem a saudade e ele estreia agora dia 30.

Uma investigação paralela a um novo jogo está acontecendo, mas dessa vez depois de 10 anos da morte de John Kramer (Jigsaw), as pistas levam a crer que ele ainda está vivo.

Resultado de imagem para jigsaw 2017

Na mesma pegada dos anteriores, o filme conta com muitas cenas de tensão e agonia, mas chega a ser mais leve nas cenas de morte. O que vemos nesse possível ‘novo começo’ é uma série de mortes paralelas à investigação de quem está por trás do novo jogo. As suspeitas vão se revelando, colocando pessoas contra outras e gerando várias desconfianças e conflitos.

O filme brinca com a cronologia, confunde o telespectador em algumas cenas e peca quando se trata de justificar como o assassino teve tempo de fazer ‘tal coisa’, sendo que ele estava fazendo outra em ‘tal’ lugar.  Isso faz com que ele pareça um ‘ser onipresente’ que tem os planos mais perfeitos quando se trata de manipulação. Mas isso é justificável, levando em conta que todos os filmes da franquia Jogos Mortais são assim.

O mistério maior é se realmente Jigsaw ainda está vivo, como isso seria possível já que e um dos filmes anteriores mostra claramente a autópsia em seu corpo. A partir desse mistério, aparecem várias teorias que podem explicar o ‘renascimento’ de John, mas quando a verdade é revelada se torna um plot-twist levemente previsível, pois quem conhece os filmes sabe que eles nunca tem um final óbvio. Com o decorrer das tramas, vamos perdendo o elemento surpresa, pois as reviravoltas vão se reciclando.

Dessa vez 5 pessoas estão lutando pelas suas vidas em mais uma armadilha de Jigsaw, a grande sacada mais uma vez é descobrir quem está por trás delas e porquê. Se agora teremos mais filmes renovando a franquia eu não sei, mas o final deixa sim um gancho para uma possível continuação.

Biografia do Autor

Isabela Picolo

Amo viajar e conhecer lugares novos. Sempre gostei de filmes, principalmente dos gêneros terror,ficção cientifica e drama. Adoro conversar e escrever sobre esse tema. Já trabalhei em diversas áreas. Me formei em Publicidade e Propaganda e fiz MBA em Marketing e Gestão de Empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *