Vikings a História Real

16991 Visualizações Deixe um comentário

Certamente você se lembra dos Vikings durante as aulas de história no colégio. Todos nós crescemos com uma imagem bem simples e clara deles: caras enormes, brutos e violentos. Eles eram conhecidos por sua sede de sangue e por não ter piedade de seus inimigos, invadiam, matavam e roubavam. Nada mais, nada menos.

vikings história

Desde a estreia de Vikings em 2013, série do History Channel, nós passamos a ver o lado desses brutamontes e até a amá-los. Ficamos apreensivos e torcemos por Ragnar Lothbrok (protagonista da série) e seus amigos.

Vikings

Pois bem, Ragnar existiu mesmo e a série busca contar sua história tendo como base relatos e contos históricos. O Viking mais famoso de todos os tempos ficou conhecido por sempre pensar a frente do seu tempo e por realizar verdadeiros feitos que o tornaram lendário. Ragnar é, desde então, visto como uma figura mística.

Todos esses feitos são retratados na série, mas você já se perguntou a veracidade de todos eles? Sim, todos eles aconteceram, segundo os relatos históricos, mas nem todos os historiadores estão certos ao atribuir todos eles a pessoa de Ragnar Lothbrok. Muitos anos nos separam desse período da história, e assim muita coisa se perdeu. Os Vikings não tinham o costume de registrar sua história, ela era passada entre as gerações através da fala, por isso analisar o homem por trás das lendas não é uma tarefa muito fácil. Acredita-se até que Ragnar tenha uma descendência direta de Odin, o que explicaria tantos feitos extraordinários.

Seu nome faz referência as vestimentas que costumava usar na época, Lothbrok pode ser traduzido como calças peludas, e acredita-se que ele tenha vivido durante o reinado do Rei Horik I, no século IX. Ragnar teria comandado a imensa frota de navios que atacou e saqueou Paris em 845. Segundo o Gesta Danorum, escrito por Saxo Grammaticus, entre os séculos XII e XIII, o maior viking de todos os tempos seria filho de Sigurd Ring, um rei sueco que conquistou a Dinamarca, membro da linhagem Ynglings, a quem sempre foram atribuídos diversos feitos lendários nas Sagas, além da ligação direta com o próprio Odin (já citada acima).

Como eu disse, é uma época muito, muito distante então não é possível precisar a veracidade dos acontecimentos e se todos eles pertenceram de fato à Ragnar. Seus feitos podem ser associados a outras fontes historicamente corretas como o Rei Horik I, Rei Reginfrid, um rei que governava parte da Dinamarca e entrou em conflito com Harald Klak, o “Reginherus” que atacou Paris na metade do século IX, Ragnall ua Ímair dos Anais Irlandeses, e, por fim, o pai dos líderes Vikings que invadiram a Inglaterra com o grande exército pagão em 865.

Mesmo assim todas as tentativas de vincular o lendário Ragnar com um ou vários desses homens falharam miseravelmente porque é muito difícil conciliar os vários eventos e suas cronologias. Entretanto, a tradição de um herói Viking chamado Ragnar (ou similar) que causou incontáveis estragos em meados do século IX na Europa e gerou muitos filhos famosos é persistente até os dias de hoje. Alguns de seus aspectos são cobertos por fontes relativamente fiáveis, como a Crônica Anglo-Saxônica. Desde 1979, de acordo com Davidson, alguns estudiosos vêm tendendo a aceitar ao menos parte da história de Ragnar como sendo baseada em fatos históricos.

Mesmo envolta em controvérsias a história de Ragnar perdura até os dias de hoje, bem como o sucesso e destaque de alguns de seus filhos como Bjorn Ironside e Ivar o Sem Ossos. Suas lendas e mitos inspiraram um personagem na trilogia Crônicas Saxônicas do inglês Bernard Cornwell, que também se utiliza dos filhos de Ragnar, Ivar e Ubba, na obra referidos como os Irmãos Lothbrok.

Recentemente ele Ragnar inspirou a série de TV Vikings, do History Channel, escrita e criada por Michael Hirst. O herói viking é interpretado por Travis Fimmel.

A série mostra não só os feitos de Ragnar, mas também sua grandeza, já naquela época ele era visto não só como um rei, mas uma figura mística, quase invencível. A maioria de seus filhos aparece na série, e duas de suas mulheres também, Lagertha e Aslaug. Na vida real Ragnar teve mais filhos do que a série retrata e também teve mais uma mulher, Tora Borgarhjört, que teria tido dois filhos dele, um homem e uma mulher que não são retratados na série. Seu irmão Rollo, seria mais uma licença poética da série, pois na vida real não há nenhuma prova do parentesco de ambos. Na história real Rollo foi fundador e o primeiro governante da região da Normandia. Ele foi batizado e recebeu o nome de Robert I, sua linhagem teria sido membro da realeza européia nos anos seguintes de sua morte.

A razão pela qual Ragnar se destacou tanto foi que ele sempre pensou à frente de seu tempo. Enquanto os Vikings invadiam sempre o mesmo lugar para roubar suas riquezas, ele queria explorar novos territórios e novas riquezas. O que é uma decisão lógica, pois ao invadirem sempre o mesmo lugar ele se tornaria escasso e não mais serviria aos propósitos de seu povo. Assim como sua história, a série televisiva é um sucesso e colocou de vez Ragnar no patamar das “celebridades históricas”, figuras que todos ouviremos falar ainda por gerações e mais gerações.

O herói viking estaria orgulhoso, pois seu legado persiste até os dias de hoje.

No nosso último programa We Are Nerds, do YouTube, falamos justamente sobre a história de Ragnar e algumas diferenças entre a série e a história real:

 

Biografia do Autor

Lakini Suryana

Fanática por Harry Potter, mas publicitária e fotógrafa de formação. Trabalho com comunicação e encontrei na escrita uma das maneiras de me expressar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *